Dra Monica Cabral Endocrinologista
Menopausa - Dra Monica Cabral Endocrinologista

Menopausa

O QUE É MENOPAUSA?rosa

A menopausa consiste da ausência da menstruação por um intervalo de 1 ano em decorrência da falta da produção do estrogênio pelo ovário, fato que ocorre em torno dos 50 anos. Ela pode ser espontânea ou cirúrgica (após a retirada dos ovários).

Os ovários produzem, principalmente, estrogênio e progesterona. Por volta dos 40, 50 anos da mulher, a progesterona é produzida em menor quantidade e o primeiro sintoma é a irregularidade menstrual.

Essa fase é denominada de climatério ou pré- menopausa. Com o passar do tempo, o estrogênio também começa a faltar até culminar com a menopausa.

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CLIMATÉRIO E MENOPAUSA?

No período do climatério, os sintomas são basicamente irregularidade menstrual, irritabilidade, facilidade maior para ganhar peso e insônia.

Na menopausa, aparecem os calores (ondas de calor ou fogachos) que podem ter uma intensidade diferente de mulher para mulher. Os fogachos são intensos, em geral, ascendentes e de curta duração. Além disso há uma redução do desejo sexual, ressecamento vaginal, e dificuldade na relação sexual.

Além do ressecamento vaginal, a pele também fica seca, os cabelos quebradiços e as unhas fracas, há maior irritabilidade, nervosismo e muita ansiedade e ganho de peso com acúmulo maior no abdome.

A longo prazo há aumento de colesterol, risco de problemas cardíacos e osteoporose.

 

QUANDO SE DEVE INICIAR O TRATAMENTO?

Quando a mulher percebe que a sua menstruação já não é tão regular (no climatério) como antes, provavelmente é a hora de iniciar a reposição da progesterona.

E mais tarde incluir o estrogênio ao tratamento.

 

QUAL É O TRATAMENTO ?

O tratamento é repor os hormônios deficientes na dosagem que corrija os sintomas.

Existem vários tipos de estrogênio e de progesterona. Os endocrinologistas são favoráveis a uma reposição baseada na fisiologia do organismo, ou seja a progesterona e estrogênio naturais, utilizados na mesma dose que o ovário estaria fabricando. Além disso, os hormônios naturais têm menos efeitos colaterais.

Os estrogênios existem nas formas de adesivo, gel ou comprimidos. O natural, igual ao que o ovário produz, existe em adesivo ou gel.

 

QUAIS SÃO OS EFEITOS COLATERAIS ?

Edema, dor nas mamas, pernas pesadas e sono são efeitos colaterais que podem surgir no início da reposição hormonal que podem melhorar com o ajuste de dose

 

QUAIS SÃO OS RISCOS?

Naquelas mulheres que são usuárias de longo tempo de reposição hormonal (há mais de dez anos), observa-se um pequeno aumento do risco relativo de câncer de mama. Vale lembrar que o aumento da detecção de câncer de mama pode ser devido a um acompanhamento mais cuidadoso destas mulheres.

Mas, ao mesmo tempo, deve-se levar em conta que em relação à doença coronariana e a cardiovascular, há uma diminuição de risco de 50%. É importante ressaltar a existência de um número muito maior de casos de morte por doença cardiovascular do que de problema de câncer de mama. O que se verifica é um aumento da incidência de câncer de mama e não da mortalidade em pacientes que fazem a reposição hormonal.

Os que foram detectados eram cânceres menos agressivos, facilmente tratados e curados. Vale lembrar que a mulher usuária da reposição hormonal é muito mais acompanhada, monitorizada, com isso o tratamento precoce evita lesões tardias e agressivas.

 

QUAIS SÃO AS CONTRA-INDICAÇÕES?

Deve ser evitada em pacientes com histórico de flebite em uso de estrogênio oral (anticoncepcional oral) ou gravidez.

A outra contra-indicação ocorre nos casos de câncer dependente de estrogênio (câncer de ovário, de mama e de útero).

O uso da progesterona também é discutível no caso de pacientes sem útero. Segundo o estabelecido pelo Colégio Americano de Obstetras e Cirurgiões é que a mulher que retirou o útero não precisa de progesterona.