Dra Monica Cabral Endocrinologista
Dicas de Alimentação - Dra Monica Cabral Endocrinologista

Dicas de Alimentação

DICAS:

• Mastigue bem os alimentos.
• Comer é um ritual: preste atenção no que está comendo, coma devagar e faça escolhas menos calóricas.
• Evite fritura; dê preferência aos produtos light e desnatado.
• Diet significa sem açúcar, o valor calórico pode ser menor, igual ou até maior que a versão com açúcar.
• Ao comer no restaurante, dispense o couvert e a sobremesa (ou divida com alguém).
• Quando estiver satisfeito, interrompa a refeição.
• Não fique em jejum prolongado, faça pequenos lanches: fruta, barra de cereal, pedaço de queijo ou algo em torno de 90 a 100 calorias.
• Coma sempre antes uma salada e come-a devagar.
• Beba bastante líquido, de preferência água.
• Se estiver com sede, beba água e não suco ou refrigerante. Água não engorda!
• Afaste pensamento do tipo “tudo ou nada”: já que comi errado, vou deixar para começar amanhã.
• Tenha sempre por perto produtos de baixíssimo valor calórico: refrigerante diet, gelatina diet, mate, limonada com adoçante para utilizar se necessário.
• Não esqueça da importância da atividade física no dia-a-dia. Suba escadas no lugar de elevador, caminhe sempre que possível e faça exercício regularmente.
• Lembre-se que para emagrecer é necessário organizar a alimentação, procurando fazer as escolhas certas, nos horários adequados e de maneira permanente.

 

PLANO ALIMENTAR:

Muitas vezes a primeira estratégia erradamente tomada por que quer emagrecer é diminuir o número de refeições no dia, permanecendo muitas horas sem se alimentar. Isso não é recomendado. Veja por quê:

O gasto energético tem três componentes principais: taxa metabólica basal, termogênese alimentar (produção de calor induzida pelos alimentos) e atividade física. A composição dos macronutrientes da dieta é importante, pois determina a proporção de energia a ser consumida ou guardada como depósito. Sendo assim fazer várias pequenas refeições por dia aumenta o gasto energético.

Existe uma “dieta” ideal?
Um autor chamando Kennedy publicou em 2001 uma revisão bibliográfica sobre os vários tipos de dieta, demonstrando que as dietas hipocalóricas (com menor teor de gordura), independentemente da distribuição dos macronutrientes, resultam em perda de peso.

A redução do consumo de gordura deve ser o ponto fundamental da orientação alimentar em decorrência das desvantagens deste nutriente em relação aos carboidratos (veja a seguir). É importante identificar os erros alimentares e estimular a modificação do hábito alimentar, adotando um plano alimentar saudável. Inicialmente deve-se estimular a redução da ingestão calórica em 500 a 1000k/cal, reduzindo o consumo de gordura para um máximo 20-30% do valor calórico total .

Dieta da proteína
Essa dietas baseam-se na restrição de carboidratos, com livre ingestão de proteína e gordura. Os defensores destas dietas sugerem que existe uma vantagem metabólica da proteína em relação ao carboidrato e que o carboidrato seria um vilão por favorecer o aumento da insulina . A insulina, entretanto, apresenta um papel importante no sistema nervoso central (SNC) no controle da fome e saciedade e por outro lado, hoje se sabe que o potencial de elevação da relação glicemia/insulina correlaciona-se principalmente ao tipo de carboidrato e seu índice glicêmico; alimentos com alto índice glicêmico contribuem para uma maior elevação da glicemia. Dessa forma os alimentos com menor índice glicêmico são mais saudáveis.

Além disso, a restrição de carboidratos faz com que a alimentação fique muito restrita e monótona enquanto a liberação do consumo de gordura, favorece o aumento do consumo de gorduras saturadas, fator de risco para doença coronariana. A gordura oferece algumas desvantagens em relação ao carboidrato: densidade calórica maior, maior palatabilidade, mastigação menos trabalhosa, menor efeito sacietógeno e balanço energético menos eficiente. A gordura fornece o maior índice por unidade de calorias (9 kcal/g) frente a 4 dos hidratos de carbono, 4 das proteínas, 7 do álcool e 1,5 kcal/g das fibras. CONCLUINDO A GORDURA ENGORDA MAIS PORQUE É MAIS GOSTOSA E TEM MAIS CALORIA !!!!!